Posts Tagged ‘joão bosco e vinícius’

João Bosco e Vinícius lançam clipe de “Final de Semana”


João Bosco e Vinícius lançaram, ontem (4), o clipe de “Final de Semana”, nova música de trabalho.

O vídeo foi feito na cidade de Aracruz, Espírito Santo, na Barra do Sahy, dia 28 de janeiro. A direção ficou por conta do Junior Jaques.

Fonte: Universo Sertanejo

João Bosco e Vinícius lançam clipe de “Tarde Demais”. Assista!


A dupla João Bosco e Vinicius lançou, hoje, o clipe da canção “Tarde Demais”, atual musica de trabalho. Os cantores voltam a apostar em vídeos para a internet após a boa repercussão do clipe da canção “Chuva”, lançado no ano passado.

O clipe de “Tarde Demais” conta com a participação da atriz Paloma Bernardi.

 

Fonte: Universo Sertanejo

João Bosco & Vinícius se apresentam no Sertanejo Pop Festival em BH


Divulgação

A dupla sertaneja João Bosco & Vinícius tem 18 anos de carreira e diversas músicas consagradas no estilo “sertanejo universitário”, que vão apresentar ao público mineiro na segunda edição do Sertanejo Pop Festival. O evento será realizado pela primeira vez no estado, entre os dias 16 e 17 de julho, em Belo Horizonte. Outros artistas de destaque também vão participar do festival. Os shows de Luan Santana, Maria Cecília & Rodolfo, Michel Teló, Guilherme & Santiago, Hugo & Gabriel, João Neto & Frederico, Gusttavo Lima, Humberto & Ronaldo e Zé Henrique & Gabriel já foram confirmados.

O cantor Vinícius conversou com o G1 sobre a infância, o incentivo da família, o surgimento da dupla e o gênero sertanejo atual.

Desde criança, os cantores foram incentivados pela família a se dedicar à música e participar de eventos do gênero sertanejo, no interior do Mato Grosso do Sul. Vinícus falou que conheceu João Bosco aos 10 anos, quando disputaram um show de calouros e os jurados os escolheram para dividir o segundo lugar. Um ano após o empate, eles passaram a estudar na mesma escola e a amizade se tornou mais forte, assim como o desejo de se dedicar à “moda caipira”.

Quando os amigos tinham aproximadamente 13 anos, cantaram juntos por diversão e foram incentivados a formar uma dupla. Um ano depois, ganharam outros concursos, mas foram proibidos de continuar competindo, pois os jurados os consideravam profissionais. “A gente era ‘piolhinho de palco”, conta Vinícius.
Durante oito anos, a dupla tocou em bares e se mudou para Campo Grande (MS) após passarem em uma universidade. João Bosco começou a cursar Odontologia e Vinícius, Fisioterapia. Os pais dos dois cantores exigiam que continuassem a estudar, mas os artistas não pensaram em largar a carreira musical porque o dinheiro arrecadado com as apresentações ajudou as duas famílias a superar crises financeiras. Além disso, os shows eram uma “fonte de prazer” para eles.

Em 2002, João Bosco & Vinícius se apresentaram em Maracaju (MS) e as canções foram gravadas de forma clandestina. De acordo com os músicos, mesmo com a baixa qualidade do áudio, depois de três meses, a cópia era o CD mais vendido de uma feira famosa na região, conhecida como camelódromo. Depois do lançamento do primeiro álbum, a dupla passou a ser reconhecida nacionalmente.

Sucesso nacional

A música “Chora, me liga” lançada em 2009 foi destaque no cenário musical nacional e rendeu à dupla o Prêmio de Música Digital, em 2010, na categoria “Música mais vendida regional”. A canção foi regravada por diversos artistas brasileiros e da América do Sul, em diferentes gêneros, como o forró e o axé. Além disso, os cantores foram indicados, em 2009 e 2010, ao Grammy Latino como “Melhor álbum sertanejo”.

Os artistas não se assustaram com o sucesso causado pela música. Desde que deixaram de tocar em bares e passaram a se dedicar a gravação dos CDs, aprenderam a lidar com as etapas da produção musical. A dupla não tinha um grande investidor e precisou divulgar e administrar o próprio trabalho. “A gente nunca teve grandes investidores na nossa carreira, pelo contrário, os grandes investidores foram os próprios João Bosco e Vinícius”, conta.

O dinheiro que conseguiram com as apresentações nos bares foi aplicado em instrumentos, cenário para os shows e aulas de canto. “Quando a gente chegou na conclusão que realmente queríamos ser cantores, passamos a reverter todo o dinheiro que a gente ganhava na noite para comprar estrutura”, afirma Vinícius. O reconhecimento nacional, segundo Vinícius, veio com as canções “Falando sério”, “Vou doar meu coração” e as faixas que integram o CD “Curtição”.

Renovação musical
A experiência obtida na época em que cursaram a universidade fez com que adicionassem ao estilo sertanejo características diferenciadas devido ao público para o qual tocavam. Além de manter a essência da música rural, falando sobre o amor e a vida no campo. A capacidade de adaptação levou a dupla a tocar no Carnaval de Salvador. “A cabeça do músico é limitada, a música não”, explica Vinícius.

Os cantores também tiveram experiência com o público internacional ao se apresentarem nos Estados Unidos, Inglaterra, Espanha e Portugal. Os shows reuniram brasileiros que vivem nesses países e se identificam com as músicas da dupla. Em Londres, os artistas cantaram no mesmo palco em que, no passado, as bandas The Beatles e The Rolling Stones se apresentaram.

A expectativa dos músicos é animar o público mineiro no Sertanejo Pop Festival. Vinícius explica que o festival está cada vez maior e é um privilégio, uma responsabilidade e uma alegria levar o melhor do “sertanejo universitário” para os fãs.

Fonte: Globo.com

Revista IstoÉ – A intimidade dos sertanejos


Eles conquistaram os jovens com músicas para baladas, mas gostam mesmo é de uma vida caseira e tranquila. Quem são, como vivem e o que pensam os sertanejos universitários.

Divulgação

BREGA NADA

Se dependesse da família, dona de um haras no interior de São Paulo, o cantor e compositor paulista Fernando Fakri de ­Assis, o Sorocaba da dupla sertaneja Fernando & Sorocaba, seria agrônomo. Foi para isso que o artista, hoje com 30 anos, se mudou para Londrina na adolescência, voltando do Paraná com diploma nessa especialidade. O canudo, no entanto, nunca teve função.
Deve estar guardado em alguma dependência da espaçosa casa para onde recentemente se mudou na área nobre de São Paulo ao lado do Parque do Ibirapuera. Nas paredes, nenhuma obra de arte – mas, em compensação, também nenhum detalhe dourado.
A discrição dos ambientes não destoa da frase com que Sorocaba explica o fenômeno do sertanejo universitário, que conseguiu quebrar o preconceito e atrair a juventude das grandes cidades brasileiras: “Nossas músicas não usam linguagem brega.”

Divulgação

MENINO BRUXO

Sorocaba mora com a família e, segundo seu pai, o advogado José Carlos Assis, que largou o escritório para cuidar dos negócios do filho, não existe pressa na chegada dos herdeiros. O menino vai bem, obrigado. E cada dia está com uma namorada nova. Numa tarde de segunda-feira, dia de descanso, já que os finais de semana são sempre ocupados com espetáculos, Sorocaba teve a visita de uma turma de amigos, incluindo mulheres lindíssimas. Ele costuma recebê-los na churrasqueira-gourmet que ladeia a piscina, mas, ultimamente, tem gostado mesmo é de passar o tempo livre no subsolo da casa. É lá que mantém um estúdio onde produz CDs de artistas novos. Ao lado, fica um closet com algumas dezenas de camisas xadrezes e botas de todas as padronagens. Apenas roupa de show. “Tenho bota de tudo: de avestruz, cobra, jacaré, lagarto.” Ultimamente, tem conferido as faixas do novo CD de um cantor que ele apadrinhou no início de carreira. O garoto se chama Luan Santana, de quem tem uma porcentagem nos negócios. Santana é quem explica: “Nossa sociedade é musical.” O astro de “Meteoro” gosta muito das canções do amigo – só no CD passado gravou cinco e todas estouraram nas paradas, o que fez de seu autor o segundo maior arrecadador de direitos autorais do Brasil. Ele só discorda de Sorocaba no gosto pelas botas. Não que ache brega: “No início até usei, mas como sou muito elétrico, caí no palco. Agora só uso tênis.”

Divulgação

A FAVORITA

Melhor assim. Santana faz 25 espetáculos por mês, 300 por ano e, por isso, está sempre pulando de uma cidade para outra. Logo que acaba a apresentação – e depois de receber as fãs no camarim, claro – já parte para o próximo destino. “Dessa forma, posso descansar o dia inteiro e fazer a academia no hotel”, diz o artista de 20 anos que não perde tempo nem para escolher a roupa – elas lhe são entregues por uma personal stylist. O sonho dele é ir ao parque do Harry Potter, em Orlando. O menino bruxo, no entanto, vai ter que esperar, já que o cantor não pôde viajar aos EUA nos recentes 15 dias de férias – sua agenda não comportou uma brecha para tirar o visto americano. Luan Santana, que nasceu em Mato Grosso do Sul, vive em Londrina, com os pais e a irmã e não pretende mudar de ­cidade. “Em uma horinha a gente ­está em São Paulo”, diz ele, que atualmente viaja de jatinho. Alugado, garante, mas há quem diga que o comprou.

Divulgação

GUITARRA E JOYSTICK

Outros sertanejos, porém, já estão de mala pronta para a capital paulista, de forma a minimizar as viagens para shows e apresentações em tevê. É o caso de Michel Teló, 30 anos, que decidiu dar “uma fugidinha” de Campo Grande, onde tem casa, mulher e família. Ele está atrás de um amplo apartamento, mas só comprará se for no bairro paulistano de Moema, como fazem todos os sertanejos radicados na cidade. Fica mais perto do aeroporto. “É mais viável morar em São Paulo e manter as raízes em Mato Grosso”, diz o cantor, que nos últimos cinco meses esteve em sua casa somente por cinco dias. Dono de uma fazenda no Pantanal, nas folgas ele ­curte pescar, como a maior parte dos colegas. E jogar games, especialmente de futebol.

A internet é outro grande passatempo dos cantores quando estão longe de suas esposas – a grande maioria é casada, propaganda nada positiva se considerarmos que o maior número de fãs da turma está no público feminino. Os irmãos Cesar Menotti & Fabiano, que são evangélicos e moram com toda a família em um condomínio nos arredores de Belo Horizonte, ficam conectados direto quando estão em turnê. “A gente chega do show e não consegue dormir. O jeito é navegar na internet”, diz Fabiano, 33 anos. Nas folgas, o destino é o haras de minipôneis, paixão de Cesar Menotti, 28 anos. “É o nosso refúgio. Fazemos frango caipira para os parentes e os amigos”, diz ele.

Divulgação

NO AR

Nada de balada, portanto, como pregam as músicas cujos refrões sobre paixões passageiras os jovens sabem de cor. Outros casadões são os irmãos João Neto & Frederico, de Goiânia, que antes de fazerem música eram, respectivamente, veterinário e engenheiro agrônomo. A dupla mora em um condomínio fechado na cidade e, de volta das viagens, gosta de curtir a família em churrascos que atravessam a tarde. Quando não estão compondo, os autores do sucesso “Sai pra Lá” preferem exercitar-se no Playstation. “O Fred é viciado, fica cinco, seis horas jogando nas viagens de ônibus”, diz João Neto, 31 anos. Mesmo no caso da dupla João Bosco & Vinicius, que não tem laços familiares, esse companheirismo é regra. Amigos desde os dez anos, um se formou em odontologia e o outro em fisioterapia. As casas de ambos, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, têm campo de futebol, uma paixão comum. “Não somos amigos pela música, somos músicos pela amizade”, diz Bosco. Nesse clube do bolinha do sertanejo universitário desponta, enfim, a bela voz e a fina estampa da mineira Paula Fernandes, 26 anos, que recentemente caiu nas graças de Roberto Carlos, com quem se apresentou. “Foi um emocionante encontro artístico e de almas”, despista a moça, que ainda fica na barra da saia da mãe em um apartamento em Belo Horizonte. “É gostoso ver esse mercado, dominado por duplas masculinas, receber bem uma menina que chega com músicas próprias e cheia de personalidade”, diz Paula. Ela tem razão: o sertanejo está mesmo mudado.

Divulgação

REFÚGIO
Longe dos palcos, os irmãos César Menotti e Fabiano ficam em um haras de minipôneis

Divulgação

DE MUDANÇA

Michel Teló procura um apartamento

Fonte: As melhores sertanejas

GUITARRA E JOYSTICK

João Bosco & Vinícius – Na Revista Caras


Divulgação

Amigos desde os 10 anos de idade, João Bosco Homem de Carvalho Filho (29) e Vinícius Fernando Karlinke (30) se conheceram na escola, em Coxim, Mato Grosso do Sul. Desde cedo, os dois descobriram a paixão pela música e passaram a se apresentar como João Bosco & Vinícius. Com 17 anos de carreira, eles despontaram para o sucesso nacional com a música Chora, Me Liga e atualmente seguem entre as cinco mais populares duplas do novo segmento da música sertaneja no Brasil.

Se na carreira tudo corre muito bem, a vida pessoal segue pelo mesmo caminho. Vinícius é casado com Audrey Kelly Franco (34) há dois anos, que está grávida de sete meses da primeira filha do casal, Maria Clara. “Há muito tempo eu sonhava ser pai. Audrey é minha companheira e sempre esteve ao meu lado tanto nas horas boas quanto nas ruins. Amo as mulheres da minha vida”, derrete-se Vinícius, natural de Naviraí, Mato Grosso do Sul.

Já o parceiro João Bosco, que terminou recentemente um noivado de nove anos, encontrou um novo amor. “A relação começou há pouco tempo. Estou com o coração preenchido e feliz”, resume o rapaz, sem revelar o nome da eleita.

Realizando uma média de 250 shows por ano, João Bosco e Vinícius têm poucos momentos de folga. Quando isso ocorre, eles vão para a casa de campo, em um condomínio fechado, em Itu. Os dois curtem a piscina, jogam vídeo game e João mostra suas habilidades na cozinha. “Aqui temos uma estrutura de estúdio, fazemos churrasco e recebemos os amigos”, conta João Bosco, que, junto do parceiro, abriu seu recanto à CARAS.

Divulgação

Como tudo começou?

Vinícius – Nos conhecemos na escola aos 10 anos. Tínhamos em comum a paixão pela música. Após uma competição em que fomos rivais, o pessoal da escola nos empurrou para cantarmos juntos. Com 18 anos mudamos para Campo Grande. João começou a estudar Odontologia e eu fiz cursinho e entrei na faculdade de Fisioterapia. Ele concluiu a faculdade e eu tranquei no último ano. Sentamos para conversar e decidimos correr atrás da carreira sem medo de atingir o estrelato.

– Como vocês avaliam a carreira da dupla?

João Bosco – Com o tempo nós aprendemos muito. São 17 anos de estrada e já passamos por vários estágios; foram oito anos de shows em bares até lançarmos o primeiro CD. Nunca quisemos um sucesso meteórico e sempre soubemos que Deus iria olhar pela gente e mandar uma joia rara como foi o caso de Chora, Me Liga, que consolidou a nossa carreira.

Vinícius – Chora, Me Liga foi o divisor de águas. Ela foi a música mais tocada de 2009. Como É o Amor para Zezé Di Camargo & Luciano, Fio de Cabelo para Chitãozinho & Xororó e Dormi na Praça para Bruno & Marrone, a canção também teve esse impacto em nossas vidas.

– Vocês são quase irmãos…

João Bosco – Temos uma relação muito boa, um respeito pelo outro. Mesmo quando estamos fora do trabalho sempre nos encontramos. Isso faz com que a gente adquira mais afinidade.

Vinícius – A gente se completa. Quando um está cansado o outro dá força. Temos cumplicidade, amizade verdadeira e franqueza. Poucas vezes nós discutimos.

– Quais os próximos projetos?

João Bosco – Em fevereiro faremos nossa primeira turnê pela Europa. Vamos participar do carnaval de Salvador e depois seguimos para turnê pelos EUA.

– Vinícius, qual a expectativa para a chegada da primeira filha?

– Deus faz as coisas nas horas certas. Ano passado perdemos meu sogro, vítima de câncer. Um mês depois, Audrey estava grávida. Maria Clara vem em um momento especial. Quero assistir ao parto e estar presente em tudo.

– Qual é o seu lazer?

João Bosco – Adoro receber amigos em casa e preparar pratos saborosos. Tenho vontade de fazer um curso de culinária.

Vinícius – Crescemos em meio à natureza e, sempre que podemos, viajamos para estar perto dela.

Fonte: As melhores sertanejas

Credicard Hall


No próximo sábado, João Bosco e Vinicius vão fazer um mega show em São Paulo no Credicard Hall. Vamos convidar os amigos e fazer a festa por lá…. Contamos também com toda familia JB&V dos Fãs Clubes… É chuva de alegria em São Paulo.
Fonte: blog joão bosco e vinícius

João Bosco & Vinícius lançam novo CD em São Paulo


Divulgação

O sertanejo universitário continua sendo um dos mais populares da música brasileira.

A prova fica por conta dos lugares enormes onde normalmente os principais artistas do gênero se apresentam.

A dupla João Bosco & Vinícius, por exemplo, volta a São Paulo para se apresentar no próximo dia 22 no Credicard Hall, que tem capacidade para abrigar quase sete mil pessoas.

Com mais de dez anos na estrada, os cantores de Mato Grosso do Sul estão promovendo seu sexto álbum, Coração Apaixonou, gravado ao vivo em Ribeirão Preto.

Os cantores investem em um estilo que mistura a música sertaneja com elementos de música pop e rock.

Uma boa prova dessa tendência de mistura fica por conta da releitura de A Cruz e a Espada, sucesso dos anos 80 do grupo RPM.

O repertório da apresentação incluirá sucessos como Sem Esse Coração, Deixaria TudoChora Me Liga, além de canções mais recentes, entre as quais Tema Diferente.

Coração Apaixonou – João Bosco & Vinícius

Quando: 22/1 (sábado) às 22h

Onde: Credicard Hall – avenida das Nações Unidas, 17.955 – fone 4003-6464 – Santo Amaro

Quanto: de R$ 25 a R$ 150

Fonte: Portal R7